Guia de Carreira: Como Chamar a Atenção dos Entrevistadores?

A situação atual do Brasil afetou a carreira de milhões de indivíduos. A crise econômica e financeira provocou um verdadeiro caos profissional, além de levantar uma série de dúvidas sobre o mercado de trabalho nos próximos anos.

Graças a esse contexto, grande parte das perguntas que temos recebido nos últimos meses através dos nossos canais de contato se referem às estratégias ideais para ir bem em entrevistas de emprego. Já falamos sobre o assunto em outras ocasiões (Confira aqui!), mas hoje queremos ajudá-lo com um novo viés sobre o assunto: como utilizar o Marketing Pessoal a seu favor?

Você Sabe Vender Seu Peixe?

O Marketing Pessoal é um assunto recorrente em nosso blog (Clique e confira!). Trata-se, basicamente, da forma como você “se vende” para os outros. Fazendo uma analogia, por mais que um produto seja bom, se não for adotada a estratégia correta de comercialização, ele será um fracasso.

Da mesma forma, não basta ter a melhor formação e anos de experiência. Se você não é capaz de convencer às empresas de que possui o que elas precisam, dificilmente será contratado. Parece injusto que anos de dedicação à carreira possam ser desconsiderados devido ao que você expõe em meia hora de conversa? Eu entendo a frustração, mas é assim que as coisas funcionam.

Qual o Valor de Sua Carreira?

Retomando novamente os princípios do Marketing, uma vez que você esteja diante de um recrutador (o cliente) você precisa pensar no que gera valor para ele. Isso significa mostrar motivos claros pelos quais você merece ser contratado, ao invés de seus concorrentes. Até aí nenhuma novidade.

A questão é que nesse ponto muitos indivíduos se afobam. Gerar valor não depende do volume de informação que você despeja, mas de sua capacidade de alinhar suas habilidades, conhecimentos e experiências, às necessidades da empresa.

O caminho ideal é:

  1. Ouvir com atenção o que é procurado;
  2. Selecionar tudo o que há de mais relevante em relação a isso na sua carreira, no seu perfil e em suas habilidades;
  3. Fazer uma conexão consistente entre os dois.

Se você se concentrar nisso, será capaz de assimilar nossa primeira dica: não inunde os recrutadores de informação, transmita informação de qualidade!

O Que Você Tem de Especial?

Não bastará encontrar as conexões entre você e a empresa, afinal, outros candidatos podem fazer o mesmo. Mas existe uma coisa que ninguém poderá copiar: seus diferenciais! Dê sempre uma atenção especial a eles, mesmo que não sejam convencionais.

Quer um exemplo? Tenho um amigo estudante de administração que certa vez realizou uma entrevista para um estágio na área comercial. Além da faculdade, ele mantinha uma segunda carreira como mágico profissional. Ele fez questão de destacar esse fato em seu currículo e, durante a entrevista, foi questionado sobre o motivo disso.

Ele então explicou ao entrevistador 3 pontos:

  1. O quanto as habilidades comerciais eram importantes em sua segunda atividade;
  2. Como ele havia eliminado qualquer inibição graças aos seus shows;
  3. O quanto havia se tornado habilidoso na exposição de informações e no desenvolvimento de conexões com outras pessoas.

Você tem alguma dúvida de que ele conseguiu a vaga? E tudo isso foi graças à nossa segunda dica: foque em seus diferenciais!

Ações Contam Mais do Que Palavras

Para ser efetivo em uma entrevista, nunca bastará a Smart Talk, algo como “conversa esperta”. Por melhor que seja o vendedor, ninguém compra um produto, ou fica com ele por muito tempo, se não for convencido do seu desempenho.

Isso quer dizer que, além de falar do que você tem a oferecer, precisa mostrar aos recrutadores sentido prático em encaixá-lo na equipe. Imagine, por exemplo que você está em uma dinâmica de grupo para uma vaga de analista que exigirá uma pessoa centrada e detalhista. Ou ainda, que quer uma oportunidade como vendedor, que exige uma postura comunicativa. Se suas atitudes, em cada processo, não forem condizentes com as demandas, dificilmente terá chances.

Você precisa mostrar o “produto” em ação. Impressionar as pessoas em um caso real, no qual demonstre como suas facetas podem atender às demandas. Serão apenas alguns minutos, mas essa é uma das poucas chances que você terá de mostrar que seu valor vai além do discurso. Assim, nossa terceira dica é: mostre suas capacidades na prática!

Mexa Com os Entrevistadores

Bons jogadores não se concentram apenas no jogo, mas também nos jogadores. Uma venda bem-sucedida não depende apenas do produto, mas da forma como o vendedor dialoga com o cliente. Uma grande verdade que qualquer especialista em Marketing pode contá-lo é: toda venda depende de como você afeta as emoções dos seus clientes.

Além de apresentar sua carreira de forma consistente, você deve ser capaz de criar conexões com seu entrevistador, fazê-lo “ir com a sua cara”. Tive uma experiência certa vez em que um candidato recebeu uma pequena crítica pela forma como resolveu um problema durante uma dinâmica de grupo. Ele perdeu a paciência e deu uma resposta mal-educada. Alguma dúvida de que ele foi eliminado?

Esse exemplo foi bem gritante, mas pequenas coisas, como sorrisos, comentários bem-humorados (na medida certa!), polidez e conversas casuais podem fazer toda diferença. Assim, nossa última dica de hoje: conecte-se com seus entrevistadores!

O que achou das dicas? Alguma dúvida ou sugestão? Deixe seu comentário!

Leave a Reply